Pages Navigation Menu

Casa dos Cocares, por Marina Linhares

Foto: André Nazareth

Foto: André Nazareth

Nos projetos de Marina Linhares a estética apurada anda de mãos dadas com o conforto. Mais que ser vista, a casa precisa ser vivida, por isso ela costuma misturar móveis, objetos e acessórios de períodos, estilos e materiais distintos. Eles podem ser de família, encontrados num garimpo ou numa viagem. E, não raro, estão lado a lado com peças de design premiado. Em sua primeira participação na Casa Cor Rio de Janeiro, Marina buscou inspiração na beleza da cidade e de sua arquitetura para transformar a Villa Kiriri na Casa dos Cocares.
“Fico encantada com o modo de viver do carioca: é acolhedor, generoso, autoral e despojado. Essa foi minha maior inspiração”, diz Marina.
O nome vem dos Kokares, da Olho, que foram produzidos com sementes e cascas pelo Coletivo Amor de Maria em homenagem à diversidade das tribos indígenas brasileiras. As peças de arte aparecem em pontos diversos da sala de estar e, claro, remetem à história do Morro da Glória e da própria Villa, batizada com nomes indígenas, já que a primeira ocupação daquele território foi dos índios tupinambás.
Com 110m², o ambiente de Marina reproduz uma casa completa: quarto, estar, jantar, cozinha, além de um home office. Quase tudo é integrado: cozinha, jantar, estar e office. Os tons predominantes são azul, branco e cru. O mobiliário faz um mix de peças. Há as antigas, de origem francesa e portuguesa, do antiquário Arnaldo Danemberg; do modernismo, como a poltrona Bowl, de Lina Bo Bardi; e peças contemporâneas. Algumas, como a cama e a escrivaninha Antonia, aliás, foram desenhadas por Marina.
O projeto de iluminação é da La Lampe. A proposta foi criar uma luz mais dramática. Por isso, foram usados conduletes com spots externos direcionáveis. Peças decorativas complementam a iluminação proporcionando uma luz difusa e aconchegante.
Já o paisagismo ficou a cargo de Adriana Fonseca, que criou um recanto verde, com o uso de madeira, barro, ferro e vegetação pendente. Um grande painel com madeira cruzeta promete roubar as atenções. Reciclada de antigos postes de energia elétrica, a madeira confere um ar rústico ao jardim que fica na entrada da Villa Kiriri, e recebeu ainda mobiliário escolhido por Marina como o banco Guapig, de madeira Pekuiá, da Tora Brasil, e móveis da Casual.

MARINA LINHARES - CASA DOS COCARES (2)

Foto: André Nazareth

Casa Cor Rio de Janeiro 2015
Período: 01 de Setembro a 04 de Outubro
Horários: Terça a Domingo das 12h às 21h (Aberto excepcionalmente no feriado do dia 07/09, das 12 às 21h)
Local: Vila Aymoré – Ladeira da Gloria nº 26 – Gloria, Rio de Janeiro (RJ)